quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Bienal do livro

video


Eu ia preparar um vídeo completo da bienal, tipo um vlog, mas chegando lá acabei gravando quase nada e a ideia miou. Tirei poucas fotos também. A verdade é que decidi ir durante a semana pra evitar multidões e filas insuportáveis e peguei um dia com uma programação bem fraca. A parte boa é que consegui comprar todos os livros e quadrinhos que queria (e outros que não estava planejando comprar, mas...) então valeu. Gostaria de ir no sábado também porque vai ter bastante autor autografando e uma programação interessante, mas só de pensar na quantidade de gente já fico meio desanimada. Tem certas coisas que exigem preparo e paciência, pra gente não acabar frustrado na hora, sabe? E evento tem esse poder de me frustrar, principalmente quando tem filas enormes pra comida e banheiro, ou senão pra pegar o ônibus pra ir embora. Mas isso é coisa de gente chata como eu hahaha.

Agora, umas dicas pra quem pretende ainda visitar a Bienal:

  • Baixe o aplicativo da Bienal

O link você encontra no próprio site da Bienal e eu achei muito bacana porque além de deixar disponível toda a programação, você pode marcar favoritos e colocar alarmes para despertar assim que for começar algo que você gostaria de participar. E também tem uma planta do evento, assim você chega mais fácil onde gostaria.

  • Leve água e guloseimas

Não espere a sede ou a fome bater pra enfrentar filas enormes nos quiosques de comida e já leve pelo menos uma água pra ir se hidratando.

  • Faça uma lista de compras

Separe a lista pelas editoras assim fica mais fácil encontrar tudo o que quer comprar sem ter que dar muitas voltas no evento.

  • Se programe

Se você, assim como eu, fica irritado em multidões e não tem paciência, pense duas vezes antes de ir ou se programe bem antes. Estabeleça metas do que gostaria de ver ou comprar, mas esteja ciente de que não adianta ter pressa. Se for pegar o ônibus gratuito no metrô Tietê, conte com uma fila de espera. Eu fui numa quarta-feira e esperamos cerca de 20 minutos para embarcar. Durante o final de semana pode ser que vire uma hora ou mais. O mesmo para pegar o ônibus de volta.


 
No Iron Throne!



O Vidas lá no estande da Comix! Quem já tem sua cópia?? ;)



Minhas aquisições da Bienal! Vou ler e faço resenhas por aqui, combinado?


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Nuances

Essa tira diz muito sobre mim. É como me sinto a maior parte do tempo. O mundo parece não ser o bastante, e as pessoas estão cheias de convicções e dogmas imutáveis. A gente vive para aprender, compreender, mudar de opinião, e quem sabe ter a oportunidade de ver tudo de uma perspectiva diferente. Eu não gosto de ficar nesse mesmo lugar, que apesar de confortável, parece quase como a morte. 


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Dormindo de conchinha


Essa é da semana passada, mas pretendo postar tiras com frequência nas redes sociais, principalmente para me manter produzindo (já me segue nas redes sociais? os links estão ali no menu da esquerda!)

Sei que ando postando pouco, mas eu finalmente voltei pra academia e voltei a patinar, ou seja: estou cuidando mais da minha saúde. E também tentando me manter como freela, o que nem sempre é fácil.

Quem sabe até o final da semana eu também não prepare algum vídeo pra atualizar o canal do Youtube... ai  ai, tudo paradão...

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Uma nova série de tiras?

Não pensei muito sobre isso ainda, mas queria começar uma série de tiras, porque parece ser a maneira mais, digamos, simples de continuar produzindo. Assim posto uma ou duas vezes por semana ao invés de esperar terminar um projeto mais longo (tipo a side-story do Vidas...) e acabar desanimando no processo.

Aqui vai a primeira, baseada em fatos reais rss:


sábado, 16 de agosto de 2014

Rabiscos

Estou um tempo sem postar, então aqui vão uns rabiscos da semana:





sábado, 9 de agosto de 2014

Os melhores filmes que assisti nos últimos tempos



Sempre fui uma viciada em filmes e séries. Na época da escola meus amigos ficavam bravos comigo quando íamos alugar filme pra assistir e eu já tinha visto tudo que eles queriam ver, rs. Nos últimos anos, acabei vendo muito menos filmes que gostaria, seja por preguiça como por falta de tempo. Além disso, eu estava assistindo uma série atrás da outra, então quando eu tinha tempo, sempre preferia as séries.

Agora, trabalhando em casa como freela, tenho mais tempo pra me dedicar aos filmes sem peso na consciência. Além disso, depois de um filme sempre acabo inspirada e produzo mais. Então prefiro encarar esse tempo como um investimento, seja de história, como estilo, narrativa, referência visual. Talvez seja impossível trabalhar com o universo do visual sem recarregar nossas referências. Sempre rende uma ideia nova, sabe.

Pensando nisso, resolvi elaborar uma lista dos melhores filmes que assisti nesses últimos tempos. Queria fazer um post sobre os meus filmes favoritos of all time, mas irei pensar com mais calma pra não deixar nada de fora, ok? Aproveito pra deixar aqui duas dicas de programas para assistir filmes sem ter todo o trabalho de baixar.

-Netflix: Vocês já devem conhecer esse canal que vem produzindo séries originais, entre muitas outras coisas. O único porém é que o catálogo deles não é muito completo e varia com o tempo. Já assisti filmes que já sairam de catálogo, e também os lançamentos demoram um tempo pra entrar. Vale mais a pena pelas séries mesmo. O preço subiu para algo em torno de R$19 por mês, mas pra mim que gosta de série vale a pena pagar. Além disso, virou o canal "da família", então não sou só eu que assisto coisas por lá.

-Popcorn time: Esse foi o grande achado da vida! É um programa totalmente gratuito que disponibiliza uma gama quase infinita de filmes, desde lançamento aos clássicos. Tem muita coisa mesmo, coisa que nem saiu por aqui ainda. A legenda é feita por colaboradores, ou seja, não é "oficial". O programa funciona como um torrent em tempo real: o filme vai baixando enquanto você assiste. Claro que não é correto como o Netflix, que paga pela licença dos filmes, mas como sabemos que quase todo mundo baixa os filmes pra assistir, esse programa facilita e muito! É só procurar no google e baixar, não precisa se cadastrar =)

Agora vamos aos filmes:


  • A menina que roubava livros (The book thief)

Já tinha lido o livro e gostado muito, mas como fazia bastante tempo, não lembrava de alguns detalhes, o que tornou a experiência de ver o filme bastante emocionante. É uma história bastante humana que se passa durante a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha. Liesel perde o irmão mais novo e se vê adotada por uma família de estranhos. Aos poucos ela vai se apegando a essas pessoas, vendo que todos eles tem algo em comum: todos estão tentando sobreviver ao novo regime e a guerra. Veja o trailer:





  • Grande Hotel Budapeste (The grand Budapest hotel)

Tenho me apaixonado cada vez mais pelos filmes do Wes Anderson, talvez seja pelo jeito que ele conta as histórias, de um jeito único e especial, que te faz ficar grudado na tela do começo ao fim. É incrível como ele torna uma história simples numa aventura cheia de momentos inesperados e divertidos.Todo o visual é calculado e interessante, tanto cenário quanto figurino. Os personagens, muitas vezes caricatos, são capazes de cativar sem serem totalmente previsíveis. Antes do Grande Hotel Budapeste, eu tinha visto Moonrise Kingdom (meu favorito) e The royal Tenembaums, todos altamente recomendados.





  • Frozen

Confesso que demorei um bom tempo para assistir, com receio de que seu sucesso fosse apenas um frenesi desnecessário e que não fosse assim tão legal ou genial (como aconteceu com Valente, que foi tão comentado, e que achei um dos mais fracos da Pixar). Eu entendo que esta seja uma nova geração de animações estilo "princesa" em que a felicidade da protagonista não se resume mais num "felizes para sempre" ou no encontro de um príncipe encantado. Mas é muito fácil cair num desses clichês do amor fraternal que supera o amor romântico (como o caso de Valente e do recente Malévola). Muitas vezes sinto que substituíram um clichê por outro, mas no caso de Frozen, foi diferente. É uma história muito bem construída, que lida de forma mais natural todas essas questões. Além disso, a protagonista Anna é muito cativante e parece que tem vida própria. Ela não tem que provar nada para ninguém, e sua rebeldia e coragem são apenas ímpetos de sua personalidade. E o que mais me agradou de fato foi que os personagens se desenvolvem e amadurecem ao longo do filme. Além disso, é verdadeiramente divertido. Recomendo.



Let it go... Let it gooo...


  • Questão de tempo (About time)


Fazia tempo que não assistia um drama/romance que não me deixasse irritada ou que odiasse o final. Mas tem algo especial sobre filmes britânicos que não sei explicar, talvez seja o sotaque, rs. Mas imagine que você pudesse voltar no tempo, em qualquer momento que você já viveu e mudá-lo, vivê-lo de forma diferente? Quem sabe dizer algo que você pensou apenas tardiamente, ou então fazer algo que não teve coragem de fazer. Bem, essa é a premissa do filme. Assim como em Efeito Borboleta, o protagonista tem que aceitar as consequências das suas ações, que podem ser totalmente imprevisíveis.





  • Clube de compras Dallas (Dallas Buyers Club)



Matthew McConaughey está irreconhecível nesse papel que lhe rendeu um Oscar, bem como Jared Leto (sem comentários, ele parecia mais mulher do que eu!). É um filme que fala sobre preconceito e sobrevivência de soropositivos, numa época quem que a AIDS estava ligada intimamente a "atividades homossexuais, prostituição e uso de drogas". E talvez a parte mais chocante de tudo isso foi entender o controle e o poder da indústria farmacêutica, que até hoje fatura quantias exorbitantes através do medo das pessoas - nosso medo mais primário: o de morrer. Filme muito bom e emocionante.





Bom, espero que tenham gostado das sugestões e até o próximo post! ;)

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Tabela de preços - Retratos

Pessoal, aqui vai uma tabelinha de preços pra quem quer ter um retrato ilustrado por mim! Estou fazendo por tempo limitado. Isso quer dizer que pode ser que daqui uns meses eu não tenha mais tempo pra fazer comissions =(

Então aproveitem os preços legais pra fazer seu pedido!

Lembrando que estes preços são para ilustrações de uso pessoal. Ilustrações para blogs, sites, revistas e outros veículos precisam de orçamento, ok? 

Qualquer dúvida deixem nos comentários ou por e-mail (que deixei ali na imagem).


quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Castelo Ra-tim-bum no MIS

Ontem decidimos dar um pulo lá no MIS (Museu da Imagem e do Som) pra ver a exposição do Castelo Ra-tim-bum, que por acaso está bombando tanto que até estava com medo de morrer na fila chegando lá. Ao contrário do que imaginamos, estava bem vazio para comprar o ingresso, mas só conseguimos para uma sessão mais tarde. Fomos dar uma volta num shopping lá perto (Iguatemi), comemos, fizemos hora e voltamos na hora da sessão, de boa. Não tinha quase fila pra entrar (esperamos 5 minutos no máximo). Não sei como está a situação nos finais de semana, parece até que os antecipados já esgotaram de novo e eles só estão vendendo ingresso na porta de dia de semana. Então, se você puder ir durante a semana: VÁ. Mas vá tranquilo poque pode acontecer de só ter ingresso pra mais tarde (eles não vendem para outro dia).

Rolou uma nostalgiazinha, mesmo eu não lembrando de muita coisa da época que eu costumava assistir. Mas me lembro muito bem do ritual que era chegar da escola e comer minha janta assistindo Castelo, X Tudo, Glub Glub...

Ah, aliás, os bonecos da exposição são os originais usados no programa e tem MUITOS croquis de roupas de personagens, roteiros antigos e etc. Tirei muitas fotos e chegamos no final da expo com uma sensação de "mas já acabou?!" mas foi divertido e tem algumas sessões interativas.






























terça-feira, 5 de agosto de 2014

Para todos os outros: obrigada e boa sorte

Apesar de ficar a maior parte do tempo centrada nas coisas que importam de verdade, vez ou outra fico sabendo de algumas coisas que são ditas por aí. A maior parte eu ignoro, sabe, pra evitar a fadiga. Pra ser sincera, tenho preguiça de ter que lidar com certas coisas, simplesmente porque estou ocupada vivendo minha vida, resolvendo meus problemas, trabalhando, pagando minhas contas e fazendo minha arte. E eu continuo postando nesse blog, criando conteúdo e gravando vídeos porque acho essencial essa troca com os leitores do Vidas. E mesmo que não sejam leitores, mas que sejam as pessoas que estejam interessadas no que eu tenho a dizer ou no que eu faço. De verdade, eu não estaria fazendo isso se não gostasse, não somente da produção de tudo isso, mas também do impacto que pode causar nas pessoas. Eu acredito que, mesmo não sendo nenhum guru, nem tido uma experiência vasta, ainda assim tenho uma experiência válida para passar para as outras pessoas. E isso é mais do que tudo que eu tive quando eu estava começando. Cada comentário que recebo de agradecimento faz todo o trabalho valer a pena, e acho que alguns de vocês devem saber como sou grata a cada uma dessas palavras, principalmente quem me acompanha aqui há mais tempo. É isso que sempre me faz continuar.

Dito isso, eu não vejo razão pela qual deva ficar me justificando pelas coisas que eu faço - ou não, sendo que ninguém está vivendo por mim ou pagando minhas contas.  Mas eu não me surpreendo. Não vim ao mundo esperando ser amada por todos, não mesmo. Se sou amada, se tenho reconhecimento sobre as coisas que faço é porque alguém (ou várias pessoas) acreditam que o que eu faço é de certa forma relevante. E não sou sou eu que estou dizendo isso. Meu trabalho sempre será importante pra mim, porque sou autora dele, assim como é para as pessoas próximas de mim, que me conhecem, e mesmo assim todas elas tem o direito de odiar, achar ruim, idiota, etc.

Como artista, meu objetivo é chocar. Não de forma totalmente literal, mas nos detalhes, no âmago. Eu quero tocar, quero fazer sentir. Sentir de verdade. Que o mundo está aí e ele é cruel. Não existe alegria sem tristeza, nem sabedoria sem sofrimento. Podemos fingir que o mundo é lindo, mas a beleza é relativa, e a minha está associada a todos esses sentimentos. Então, haters gonna hate, mas essa é a minha arte, essa é a minha verdade. Não importa o que você diga, ou o que você ache, mas eu jamais fingiria ser outra pessoa apenas para agradar. Eu me odiaria, preferiria a morte.

E apesar de saber que existem pessoas verdadeiramente interessadas nas minhas histórias, ainda assim, eu não poderia afirmar com certeza que irei publicar outro quadrinho em breve. Talvez daqui alguns meses, talvez daqui anos. Eu não sei. Eu irei fazer quando achar que preciso, quando achar que posso. Quando tiver uma história que eu sinta dentro de mim que precise realizar. Eu não faço quadrinho porque eu acho que DEVA fazer, ou porque devo algo a alguém. Não.

E aqui vai um texto que publiquei no Facebook. Espero que isso encerre o assunto:

Pro pessoal que acha que eu só posto bobagem no facebook: eu tô cagando pra o que você acha. A vida é minha e eu faço o que quiser dela. Tem gente que me acompanha desde muito tempo, desde antes de eu ser fanzineira. As pessoas sabem quanto eu lutei e continuo lutando, e a verdade é que me importo verdadeiramente com elas, e elas sabem disso. Meu carinho com meus leitores é visível em todo lugar, nas minhas páginas, no meu blog, nos meus comentários. Sem meus leitores de verdade eu não teria ido tão longe.
Como eu já disse algumas vezes, a minha grande alegria é que meus leitores, principalmente os mais antigos, não foram obrigados a gostar de nada. Eles simplesmente gostavam e compartilhavam, nada mais sincero que isso.

Então, as pessoas podem falar o que elas quiserem, de verdade. Sintam-se a vontade. Se você não gosta do que eu faço, acha idiota... bem, sinto dizer: não estou fazendo isso pra você. Ninguém é obrigado a gostar. Simples assim.
Já fui muito criticada em vários aspectos do meu trabalho. Já recebi comentários que me recuso a chamar de crítica, porque existe um limite entre ser racional e ser apenas um escroto. Mas a vida continua. E continuou de fato. Nada disso me impediu de finalizar um quadrinho, ou de ser publicada. Muitas daquelas palavras me ajudaram de forma direta (no caso das críticas) e outras apenas me colocaram pra frente, só pra mostrar que era possível fazer. E eu fiz, cara.
Eu e mais alguns colegas de profissão fomos muito longe porque acreditamos suficientemente, e nos empenhamos muito além do que a compreensão de certas pessoas. Mas cada um tem a sua história, tem seu caminho, tem a sua arte. Cada um com a sua arte.
Eu não estou aqui pra agradar ninguém não. A quem agrada: obrigada por ficar. A todos os outros: a porta alí está aberta, obrigada e boa sorte.



segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Speed painting: Retratos


Primeiro de tudo, gostaria de falar sobre as mudanças aqui no blog. Mudei as páginas do menu superior - a galeria e os fanarts eram legais, mas não estavam funcionando, então acabei tirando - e do menu esquerdo. Tentei deixar mais bonito e organizado. A maioria das imagens são clicáveis e levam a algum lugar que tenha a ver com ele. Inseri também alguns thumbs diretamente do Instagram, porque acho legal e as pessoas se interessam mais por imagens, né minha gente? Ainda quero mudar algumas coisinhas, mas preciso pesquisar bem como mexer no html pra ficar mais bonito.

Outra mudança importante: inseri caixa de comentários pra quem está logado no facebook, além da caixa de comentários normal do blogger. Ou seja: você pode escolher entre comentar pelo face ou pela caixa comum.

Por favor, deixem feedback quanto as mudanças, se está tudo funcionando direito, o que é legal ou não, ou o que poderia mudar... não sou programadora mas vivo pesquisando tutoriais e com paciência vou ajeitando a "nossa casa" =)

Agora ao que interessa! Ontem fiz uma brincadeira no facebook: os 5 primeiros que comentassem na minha postagem ganhariam um retrato ilustrado por mim. Era coisa simples, pra testar alguns materiais novos (pastel oleoso da Tris). Acabei gravando o processo neste vídeo, onde vocês também podem conferir o resultado final:



Pra se inscrever no canal é só clicar nesse botão vermelho aqui embaixo:




Sei que nessa, muita gente interessada ficou de fora (ainda mais porque o post aconteceu no auge da minha insônia, durante a madrugada haha) mas pretendo fazer mais sorteios do tipo, assim mais gente pode participar! Fiquei bem feliz com o resultado final... sabe quando você começa sem saber ao certo como vai ficar no final? Isso porque não costumo usar pastel oleoso, e estes são uns dos primeiros que curti usar, por ser mais macio e fácil de misturar (até com os dedos!).

Mais fotos!








Espero que tenham gostado!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Os sketchs dos últimos tempos

Eu finalmente recuperei a vontade de desenhar só por desenhar. Como desenho todo dia ~a trabalho~ então às vezes cansa. As coisas estão ficando mais calmas agora, o que quer dizer que posso ir preenchendo meus sketchbooks aos poucos...

Acabei desanimando um pouco daquela side-story do Vidas que comecei a fazer. Espero retomá-la em breve, junto com outros projetos. Pensei até em lançar uma edição especial de side-stories, mas vai depender da minha disposição pra completar uma edição inteira. Veremos.

E aqui vai alguns desenhos que fiz nessa última semana e que postei no Instagram. Aliás, vocês me seguem por lá? Vivo postando coisas do meu dia-a-dia. Pra me seguir, é só clicar aqui.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...