segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Isto não é um adeus



Eu gostaria de dizer que pensei muito sobre as coisas que estou prestes a dizer nesse post, e que ele significa muito para mim neste momento da vida que estou vivendo agora. Quer dizer muito sobre mim e sobre tudo o que aconteceu comigo durante o processo e a pós-produção de Vidas Imperfeitas. Isso me levou quase quatro anos. Foi o tempo de começar e terminar meu curso da faculdade. O Vidas foi meu TCC. Tudo o que eu tinha pra falar sobre ele já foi dito) mas parece que sempre encontro mais coisas pra dizer). Mesmo depois de dois anos após desenhar a última página, editar o último capítulo, tudo isso continha vivo dentro de mim, como se nunca fosse encontrar um final verdadeiro. Mas o Vidas acabou, e apesar de eu ainda trabalhar nas side-stories como prometido, eu preciso SUPERAR. É difícil largar mão. Mas o que precisa ser feito precisa ser feito, para dar espaço a novas coisas, novos momentos, novos projetos. Eu não tenho palavras pra explicar como tudo isso foi importante pra mim. Mas ao mesmo tempo, eu não consigo escrever histórias sem colocar tudo de mim alí, dar todas as moedas, por isso, para que novos projetos venham, eu preciso de mais espaço no meu coração, pra que eu possa dar tanto de mim as minhas próximas histórias quanto eu fiz com o Vidas. Isso não quer dizer que irei simplesmente esquecer. Não. Tudo que vivi, senti e aprendi durante todo esse processo me marcou profundamente e é impossível que eu seja a mesma pessoa de antes de tudo isso acontecer. O Vidas me mudou. E é por isso que preciso ir em frente, porque foi exatamente isso que ele me ensinou: que a vida tem ciclos, e que cada ciclo termina para que outros possam começar.

Não importa pra onde eu vá, eu sei que estes personagens e este universo continuará vivo dentro de mim e das pessoas que tocaram. Essa é a beleza de contar histórias, de poder vê-las se perpetuarem além do tempo e do espaço, mesmo depois que seus autores já se foram. Apesar de ter tentado tantas vezes "dizer adeus", eu nunca consegui de verdade. Ainda existia algo em mim que me prendia a tudo isso, e nunca entendi de fato o que era. Mas tanta coisa aconteceu nesse ano que pude compreender um pouco melhor. Eu falei aqui sobre a minha vontade (e necessidade) de amadurecer, e acho que foi isso. Eu preciso de alguns símbolos deste meu amadurecimento.

Eu adoro ter um blog. Continuei a atualizar este porque me parecia simples e fácil. Agora acho que já não faz muito sentido, assim como não fazia mais sentido manter algumas páginas e redes das quais não usava mais ou não tinham mais serventia. Apaguei Deviantart, Flicker, Tumblr. Deu uma dor no coração, me lembrei das memórias de tudo aquilo. Dos tempos de adolescência, das descobertas e dos amigos que fiz em cada um destes lugares. Mas eu preciso ir em frente, e por alguma razão manter aquelas páginas significava me manter num passado que não existe mais, cheio de reminiscências da pessoa que já não sou.

Calma, este blog ainda vou manter. Querendo ou não, é um canal onde as pessoas podem encontrar informações sobre o Vidas Imperfeitas, baixar as edições e ler os posts. Só não irei atualizar como antes. No máximo, irei fazer postagens com atualizações ou novidades restritamente relacionadas ao Vidas, bem como à side-story que estou me esforçando em produzir para lançar no começo do ano que vem.

Isto não é um adeus. Você poderá não me encontrar mais aqui como antes, mas esse lugar tem uma luz que se mantém acesa, independente de mim. Isso é especial, sabe. Por isso o blog ficará aqui enquanto continuar sendo útil. Eu só queria mesmo um lugar, um blog em que tivesse mais liberdade, e por aqui me sinto meio limitada ao Vidas ou a temática de artes/quadrinhos...

No post anterior, listei os principais projetos nos quais irei me dedicar a partir do ano que vem. É bastante coisa, por isso precisarei de muito foco. Mas você sabe que pode me encontrar em vários lugares, que estou sempre aberta pra bater-papo e responder perguntas. Lá no Facebook, no Instagram, no Youtube... Falando nisso, meu canal está crescendo bastante, o que tem sido bem bacana. Toda semana tem vídeo novo, por isso, se você ainda não se inscreveu, CORRE LÁ.

No Tumblr, comecei um novo projeto chamado Lovers. A ideia é postar desenhos relacionados a romance, casais, sensualidade, etc. E futuramente também colocar o projeto no catarse como Artbook. Vamos ver se dá certo. Ainda por lá, decidi começar um novo Blog, onde terei mais liberdade para falar sobre minha vida, meus anseios, meus novos projetos, enfim, pra falar sobre tudo com mais liberdade. Quem sabe até contar algumas histórias, vamos ver.

Acabei de comprar o dominio marycagnin.com, mas também não sei o que fazer com ele. Talvez vire portfolio, ou apenas um canal reunindo todas as informações sobre mim e meus trabalhos. Como podem ver, ainda estou me organizando, sabe. Nesse mundo digital temos tantas opções e redes sociais que tem sido complicado me manter ativa em todas, por isso estou fazendo escolhas e vendo se funciona ou não.

Por fim, gostaria de agradecer a todos que me acompanharam, que me ouviram, me ajudaram, me incentivaram, me inspiraram, me encheram de carinho com suas palavras, e também me encheram de motivação com suas críticas. Nem tudo são rosas, mas agora, neste momento, me lembro de tudo que foi bom, e toda a bagagem que carrego me dá orgulho.

Pra terminar, vou me parafrasear numa das páginas do Vidas, porque sei lá, veio bem a calhar:


"Afinal, este é o fim de uma fase, de um ciclo (...) mas está longe de ser um final"


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...