sexta-feira, 25 de maio de 2012

Oh, how I miss this...

Hoje tive uma vontade súbita de desenhar esses dois:




Tenho que admitir que no começo tinha uma preferência grande pelo casal 'Juno e Diego' apesar de ser apenas uma parte do passado da Juno que ela conta bem por cima. Mas acho que no final, eu acabei me apaixonando por 'Juno e Daniel'... se eu tivesse tempo e espaço, teria aprofundado o relacionamento deles, mas isso foi algo que estava implícito (eu acho...) pelo menos, enquanto eu desenhava, eu queria passar a sensação de que eles estavam se conhecendo aos poucos, que eles se encontravam mais vezes do que apareceu no fanzine.

As vezes me pergunto como pode eles parecerem tão bem juntos quando tem tão pouco em comum... Juno, que é tão vivaz, impaciente, impulsiva (com uma certa dose de melodrama) e o Daniel, um cara tão na dele, sempre 'de buenas' com todo mundo, e ao mesmo tempo tão fechado... ele dá a sensação de que você sabe tudo sobre ele, por causa do seu romantismo, por causa do jeito como se apaixona pela Juno, que parte de uma curiosidade quase infantil, e também de uma percepção apurada (ele sabia que existia mais naquela garota do que diziam por aí...). A verdade é que pouco se sabe realmente sobre ele, e quando a Juno descobre isso, talvez fosse tarde demais. Ele era o príncipe encantado, uma forma idealizada em sua vida. Mas eles parecem bem juntos, porque independente disso o sentimento deles é real. Juno também se apaixona, pelo doce, gentil e carismático Daniel, o único que conseguiu vencê-la na queda de braço, ainda que não pela força física (nunca saberemos) mas muito provavelmente pela força do seu olhar (ohhh)...

Pode parecer clichê, mas é tão real para mim que parece tocável. Às vezes, eu quase posso tocá-los...

Atenção! Se você ainda não leu a sexta edição, o restante desse texto pode conter ***SPOILERS***

Eu queria comentar sobre a sexta edição, porque bem, eu sempre comento as edições que acabo de postar e não vou romper esse hábito (LoL). 

Eu fiquei muito feliz com a receptividade da última edição. Particularmente, eu estava muito satisfeita com ela, o final era tudo o que eu queria mostrar desde o começo desta história e consegui concluí-la de um jeito que me fizesse parar e dizer 'é isso!'. Era isso o que eu queria dizer, era isso o que eu queria mostrar para as pessoas. Como disse do editorial, meu fanzine não foi perfeito, mas se ele fosse perfeito, seria terrivelmente irônico. Eu escrevi sobre vidas imperfeitas, sobre a vida das próprias pessoas, no mundo real, sobre a minha própria vida. Não quero tornar essa uma desculpa para minhas faltas, porque sempre busquei melhorar minhas 'falhas', mas nem sempre isso é controlável, e muitas vezes estava tão mergulhada em certos sentimentos que isso penetrava a folha de papel e estes sentimentos ficaram gravados em cada página. As pessoas podem não reconhece-los, mas eu sei quem era a Mary de cada página, e eu conheço o peso delas. Quando as pessoas vão além de um mero comentário e mergulham nem que seja um pouco mais no meu trabalho, eu me emociono e também me surpreendo... alguns comentários são bem ricos, por isso sempre encorajo os leitores a darem um feedback xD

Algumas pessoas gostaram muito, outras ficaram com um ponto de interrogação quanto a relação entre Juno e Daniel (eles terminaram ou não?). Bom, aí é que tá... sim e não (LoL) eles terminaram o namoro, mas vale lembrar que eles nunca deixaram de se gostar, e isso dá margem pra muita coisa no futuro, rs... Se eu vou voltar a desenhar o fanzine? Muito dificilmente. Pelo menos não agora. Talvez (talvez!) eu faça mais algumas side-stories, quando tiver tempo e disposição o suficiente... A saudade às vezes me mata. Como agora. Mas eu pego no lápis e não tenho mais disposição. Estou passando por essa fase... eu realmente não tenho tempo de nada. É muito triste. Crescer é triste. Ter que trabalhar fora é triste. De alguma forma... mesmo que seu trabalho não seja totalmente odiável, é triste não ter liberdade, não ter as tardes livres pra fazer o que eu gosto ou apenas ler um livro. Acho que nada é perfeito mesmo, tampouco satisfatório. Enquanto trabalhava em casa, me sentia sempre solitária e queria ver gente. Agora vejo gente todos os dias e sinto falta do conforto da minha casa, e da liberdade de ir e vir, de fazer as coisas na hora que dava vontade. Não sei até onde aguentarei essa situação mas eu vou levando...

No final, a Juno cortou o cabelo, e eu gostei bastante dela daquele jeito... a versão madura da Juno. Daniel também cortou, por outros motivos (ele mesmo diz que é porque a Juno gostava de seus cabelos longos.. Daniel works in misterious ways... mas acho que era uma forma de superar seus próprios sentimentos). Quando eles se reencontram, depois de um ano, ambos estão mudados. Daniel confessa que assistiu as peças de teatro da Juno. Isso me dá a sensação de que ele é no fundo também um fã, afinal ele se apaixona por ela na sua primeira peça da escola. Mas a Juno está indo embora agora, e por mais que eles sintam falta um do outro, não tem muito o que fazer... é, eu sou mesmo cruel com meus personagens... (mas a vida também é cruel comigo!! LoL)

Desde quando comecei a história, decidi que esta não teria um final 'felizes para sempre' e queria um final 'aberto'. Mas todo final é teoricamente aberto, porque não existe algo como um final definitivo, ou algo que seja permanente. Mas toda história precisa de um final, isso é certo.

Enfim, acho que já falei demais, e estou ficando com sono (já são 2 AM!!) então comento sobre os outros aspectos da história numa próxima oportunidade xD

Obrigada aos que leram até aqui... eu acho... ._.




sábado, 12 de maio de 2012

Um rascunho + novidades

Achei esse rascunho enquanto vasculhava pela minha pasta de desenhos, rs... nem lembrava desse rascunho e daria uma ilustração bem divertida!! xD Se tudo der certo, irei finalizar e colocar no Artbook que pretendo fazer \o/



Falando em Artbook, obrigada pelos comentários no post passado, foram bem úteis! No final, acho que farei o Artbook mais pra divulgação, e mesmo se não vender, poderei usar como portfolio. A ideia de fazer temática seria mais legal mas temo ficar repetindo um tema só, por isso acho que vou variar um pouco nos trabalhos... quer dizer, até eu concretizar alguma coisa, muita coisa poderá mudar xD

Ah, e hoje estou fazendo os primeiros testes de impressão da sexta edição então em breve as revistas estarão disponíveis pra compra ;D

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Sobre a edição definitiva e um Artbook

Olá, pessoal! Desculpem a minha ausência. Eu estava percebendo um padrão do meu humor nos últimos tempos, que era uma variação entre uma deprêzinha chata, para um desânimo total, para uma doença física psicossomática, que me faz repensar como vivo a minha vida e depois volto a me animar novamente. A verdade é que também estava sem tempo [e vergonha na cara] de fechar a sexta edição do fanzine pra impressão [fora os probleminhas básicos que encontrei no InDesign na diagramação] e por isso estou toda atrasada! Me desculpem mesmo >_<

Mas aí outro dia eu tava pensando... que preciso de dinheiro LoL então decidi levar adiante ideias antigas e ainda me deram algumas ideias novas, como é o caso do Artbook. Mas voltando às ideias antigas, eu realmente queria fazer uma edição definitiva do fanzine, com todas as edições juntas num encadernado de lombada quadrada e tudo mais pras pessoas poderem guardar na prateleira com todo o carinho [viajando..] A ideia era fazer como minha amiga, que quando concluiu a serie dela, usou as brochuras das edições avulsas, colou-as em casa mesmo e só mandou refilar e fazer as capas BEM bonitinhas com papel cartonado glossy. Foi caseiro mas ficou bem bacana. O custo de produção foi infinitamente menor que em gráficas e ela conseguiu vender por um preço BASTANTE razoável. Acho que vale a pena, já que o resultado final foi também bastante satisfatório. Eu só queria saber qual o interesse dos leitores nessa edição, que vai ser num tamanho próximo ao A5 [um pouco menor pra aproveitamento do papel da capa e refilamento] e um preço por capa de no máximo R$20 reais. Eu só precisava ter uma ideia de quantos produzir nesse primeiro momento e já preparar o investimento rs. E também pra focar todo esse trabalho num momento só, pra não precisar fazer muitas reimpressões. No primeiro momento, vou só fazer um levantamento de interesse, mas mais pra frente, quando a ideia estiver mais concretizada, também posso abrir encomendas prévias, mas é claro que com o comprometimento da pessoa que pediu em comprar o seu dps, rs...

A ideia do Artbook é um pouco mais complexa, porque me sugeriram fazer em gráfica, com bom acabamento e impressão. Algo nada muito extravagante, com algumas ilustrações coloridas minhas (cerca de 20 trabalhos). O preço que pesquisei de artbooks A4 de 20 páginas era em torno de 35 dólares. É, é meio caro mas depende muito do interesse das pessoas em algo assim. Pensei em fazer um Artbook temático, como com ilustrações de personagens do fanzine, mas no fundo eu não sei se tenho trabalhos decentes em número pra isso, de qualquer forma. O que vocês acharam da ideia? Vale a pena investir num Artbook? Temático ou não? Fazer algo mais simples, tipo em tamanho reduzido para diminuir o preço é mais atrativo? Comentem, pls! Essa autora que vos fala precisa ganhar uma grana extra pra poder executar seus planos maléficos de dominação universal [vulgo TCC] por isso qualquer ideia é bem vinda! xD

Ah, btw... saiu uma nota no HQ Maniacs sobre o lançamento da sexta edição: http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=noticias&cod_noticia=34379&fb_source=message

Yay!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...